Pediatra pode ter sido morto por alertar família sobre suposto abuso sexual


25/09/2021 08h36 | Por: Redação/Fonte:CaraipeFM

O cirurgião-dentista Lula Teixeira, de 48 anos, que é irmão do pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, de 44 anos, morto dentro da clínica particular onde trabalhava, no oeste da Bahia, contou que existe a suspeita de que o crime teria sido cometido após um alerta que o pediatra deu para uma família sobre uma criança atendida por ele, e mostrou alguns sinais de abuso sexual.

“Apareceram muitas conversas aqui que estão investigando para realmente saber o que aconteceu. Teve essa conversa de que a criança chegou molestada e ele falou que tinha que ir para Irecê [cidade no centro-norte da Bahia], que Irecê que tinha o departamento para investigar, ver direito, né? Mas isso tem um tempo, porque ele como médico tem por obrigação ver uma questão dessa e alertar a mãe e o pessoal para procurar a polícia”, disse Lula Teixeira.

Apesar da declaração do irmão do pediatra, nenhuma linha de investigação foi divulgada pela polícia.

Lula Teixeira ainda disse que a cunhada dele trabalha como enfermeira, sempre participava dos atendimentos de Júlio César, e que presenciou o crime, que aconteceu na cidade de Barra.

O enterro de Júlio César foi na manhã desta sexta-feira, no Cemitério de Xique-Xique, cidade onde ele nasceu e morava.