Novo auxílio emergencial protocolado no valor de R$1.000; veja quem pode


29/11/2020 23h34 | Por: Maisteixeira/Fonte noticiasconcursos

O texto faz uso de alguns dispositivos legais relacionados ao auxílio emergencial pago em decorrência da pandemia de Covid-19.

Um novo Projeto de Lei 5009/20 prevê a criação de um novo auxílio emergencial no valor de R$1.000 por mês. De acordo com o texto da proposta, o benefício será pago pelo período de 12 meses.

A nova proposta, já em trâmite na Câmara dos Deputados, vai beneficiar indígenas, quilombolas, ribeirinhos, pescadores artesanais, membros de outras comunidades tradicionais e assentadas do programa de reforma agrária. Em resumo, visa beneficiar moradores do bioma Pantanal que tiveram a área onde vivem atingidas por incêndios.

De acordo com a justificativa do texto, apresentada pelos autores da proposta, deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) e outros 12 deputados, ressalta dificuldades, dores e prejuízos psicológicos e socioeconômicos decorrentes da tragédia provocada pelos incêndios no Pantanal. “Busca-se um socorro imediato, de emergência, aos que mais necessitam”, informa o texto.

Segundo dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), 92% das pequenas propriedades do Pantanal tiveram mais de 80% da área devastada pelo fogo.

O novo projeto estabelece que:

o auxílio emergencial não será pago a quem possuir outra fonte de renda, igual ou superior a R$ 500 por membro da família; e aos que constem como dependente de declarante do Imposto de Renda.

No que se refere a números absolutos, significa que um total de 10.483 minifúndios” e 4.887 “pequenas propriedades” teve mais de 80% da área atingida pelos incêndios.  O grupo é composto por: cônjuge;

Companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos; ou filho ou enteado em duas hipóteses.

O texto faz uso de alguns dispositivos legais relacionados ao auxílio emergencial pago em decorrência da pandemia de Covid-19. O texto, por exemplo, autoriza os pagamentos por meio de conta do tipo poupança sociais digital. Além disso, proíbe a instituição financeira responsável pelo pagamento de efetuar descontos ou compensações.

 Confira quem são os treze deputados que assinam o Projeto de Lei 5009/20:

 Professora Rosa Neide (PT-MT), Alencar Santana Braga (PT-SP), Nilto Tatto (PT-SP), Célio Moura (PT-TO), Camilo Capiberide (PSB-AP), Professor Israel Batista (PV-DF), Vander Loubet (PT-SP), Alexandre Padilha (PT-SP),Rodrigo Agostinho (PSB-SP), Marcelo Freixo (PSOL-RJ),Paulo Teixeira (PT-SP), Merlog Solano (PT-PI) e o deputado,Túlio Gadêlha (PDT-PE).