Mais duas vacinas contra a Covid serão testadas no Brasil


21/04/2021 02h13 | Por: Maisteixeira/Fonte Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu autorização para a realização de testes em voluntários brasileiros de duas novas vacinas contra a Covid-19. Uma delas está sendo desenvolvida pela empresa chinesa Sichuan Clover Biopharmaceuticals. A outra é da farmacêutica canadense Medicago, em parceria com a britânica GlaxoSimithKline.

Esses testes, que também serão realizados em outros países, vão demonstrar a eficácia dos imunizantes. A vacina do laboratório chinês, chamada de SCB-2019, será testada em até 12 mil voluntários do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. O recrutamento deve começar na próxima semana.

Vacina

Já a vacina da Medicago, que ainda não tem nome, será testada em 3,5 mil voluntários brasileiros. Mas em nível mundial, entretanto, cada uma das vacinas deverá ser testada em aproximadamente 30 mil voluntários. Também já se sabe que ambas vão exigir a aplicação de duas doses, caso sejam aprovadas.

Brasil, país ideal para testes

Como o Brasil foi muito afetado pela pandemia do novo coronavírus, vários laboratórios têm escolhido o país para a realização dos testes finais de seus imunizantes. Como o vírus ainda circula com grande intensidade em território brasileiro, as chances de que os testes da fase 3 sejam concluídos mais rapidamente são maiores.

Voluntários brasileiros participaram de testes das vacinas contra Covid desenvolvidas pela Universidade de Oxford e o laboratório sueco-britânico AstraZeneca; pelas empresas Pfizer (americana) e BioNtech (alemã); pela chinesa Sinovac, que produz a Coronavac em parceria com o Instituto Butantan. E, por fim, o imunizante da Johnson & Johnson.

Todas essas vacinas já foram aprovadas, seja para uso definitivo ou emergencial, e estão sendo aplicadas em vários países. No Brasil, por enquanto, estão sendo usadas a Coronavac e a de Oxford.

As vacinas da Pfizer e de Oxford foram as únicas que conseguiram o registro definitivo de uso, que é concedido pela Anvisa. Com a autorização para testar dois novos imunizantes contra a Covid, chega a seis o número de vacinas testadas no pais.

Como está faltando vacinas contra a Covid-19 em praticamente todos os países do mundo, quanto mais imunizantes forem aprovados, melhor.