Homem morre de Covid-19 na UPA por falta de insumo; Família acusa diretor por negligência


17/02/2021 01h00 | Por: Alexandro Sousa/maisteixeira

Durante a tarde desta terça-feira 16 de fevereiro, a nossa redação recebeu um pedido de socorro, vindo de uma família que perdeu um ente querido para o Covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade de Teixeira de Freitas.

Segundo os parentes de Arnaldo Miranda Costa, de 44 anos, que deu entrada na unidade hospitalar na ultima quinta-feira (11) e veio a óbito na tarde desta terça-feira, por falta de insumo e negligência.

 Segundo a cunhada de Arnaldo, Lilian de Meireles Saraiva, que o seu cunhado teria dado entrada na unidade hospitalar por volta das 15hs00 , do dia (11) deste més, com falta de ar e logo foi constatado que o seu pulmão estaria com 40% comprometido por conta do novo Coronavirus (Covid-19).

UPA

Na sexta-feira foi feito um procedimento na unidade, e Arnaldo foi transferido para o centro de Covid no Hospital Municipal de Teixeira, que no mesmo dia o paciente teria retornado para a UPA, por falta de insumos e equipamentos. De acordo Lilian que logo em seguida começou o drama para conseguir junto à secretaria do estado uma vaga para transferir Arnaldo para outra cidade foi quando conseguiu uma vaga no Hospital Neurocor em Porto Seguro, com a doutora Marilene “Fomos até a direção da UPA, para que olhasse no sistema o qual foi feito, foi quando ficamos sabendo que o nome do paciente Arnaldo, não constava no sistema cadastrado”, foi quando a enfermeira tornou cadastrar de novo o paciente no sistema como entrada de hoje, pois segundo a direção que o erro ocorreu quando o paciente deu entrada no (HMTF), pois a unidade teria aceitado o paciente e logo após teria sido recusado, pois assim que Selma coordenadora de enfermagem postou no sistema o novo cadastro , imediatamente o Hospital de Porto Seguro Neurocor aceitou o pedido de transferência.

Áudio enviado para a família antes de morrer  

A família ainda contou que outra vez foi obrigada a procurar por contra própria uma UTI Móvel para fazer a transferência do paciente para Porto Seguro, pois a unidade teria informado que a própria família que teria que conseguir um veículo apropriado para a transferência do mesmo, acionamos o SAMU e não conseguimos , entramos em contrato com o senhor Ademir chefe de transporte do município o mesmo informou que tinha uma ambulância só não tinha médico e nem enfermeiro, assim a família juntou e conseguiu alugar uma UTI Móvel toda equipada que veio de Porto Seguro, mais o seu cunhado já estava sem vida.

A nossa reportagem conversou com João Miranda, irmão do paciente que veio a óbito na UPA, o qual a família acusa a unidade por negligência. Ele nos contou que no ano passado teria perdido a sua sobrinha Ashley, que seria filha de Arnaldo, que também morreu por negligência após complicação provocada pelo novo Coronavirus, e após ser transferida da unidade hospitalar para o hospital de campanha de Covid.

“Meu irmão entrou na unidade na quinta-feira, ficando internado, mais tava ainda conversando, ainda hoje ele mandou um áudio para a mulher e o seus dois filhos eu mesmo acompanhei de perto a internação dele, eu mesmo acompanhei muitos erros aqui, do próprio diretor da UPA, pois a gente ver que ele é uma pessoa incapaz de assumir esta unidade”.

Uma coisa ta errada, pois após meu irmão ser entubado ele faleceu, eu acredito que ele morreu por falta de equipamento e negligência, pois o próprio diretor da unidade pediu para a família ir procurar insumo básico de saúde, pois agente sabe que não pode faltar e vejo isso como uma grande gravidade em uma Unidade dessas de Pronto Atendimento e para o município. Finalizou o então irmão da vitima.

A família agradeceu o Prefeito de Caravelas Silvio Ramalho que lhes ajudaram no que pode e agradeceu a Dona Marilene. Não houve velório e o corpo seguiu direto para a funerária e logo após seria enterrado no cemitério local.