Ex moradora de Helvécia, motorista de aplicativo é assassinada em Belo Horizonte


13/10/2021 09h03 | Por: Redação/Fonte:BahiaExtremoSul

Margarete Nascimento, de 49 anos, natural de Helvécia, distrito de Nova Viçosa, foi encontrada morta em um local de difícil acesso na Serra do Rola-Moça, em Ibirité, região da grande Belo Horizonte.

Margarete despareceu na noite do último domingo (10), e seu corpo foi encontrado próximo ao carro em que ela trabalhava como aplicativo 99, no fim da noite desta segunda-feira, 11 de outubro, em um despenhadeiro da Serra do Rola – Moça. 

O corpo estava com seios expostos e apresentava uma lesão na cabeça. O corpo estava num local de difícil acesso por isso foi preciso a atuação do Corpo de Bombeiros para fazer o resgate.

Segundo informações da filha da vítima repassadas ao site EM.com, Margarete costumava chegar em casa por volta da meia noite, no mais tardar 1 hora, o que não aconteceu na noite de domingo.

Segundo matéria publicada no EM, o GPS foi de fundamental importância para ajudar a polícia a localizar o corpo da vítima.
O carro que Margarete usava para trabalhar com aplicativo era alugado. A filha, após não conseguir falar com a mãe via telefone, entrou em contato com a proprietária, que consultou o GPS do veículo e viu que ele estava parado em uma Avenida do Vale do Jatobá, bairro localizado na Região do Barreiro, em Belo Horizonte, horas antes do corpo ser encontrado.

A PM foi acionada e constatou uma mancha de sangue no botão do cinto de segurança. Com isso, a perícia da Polícia Civil foi chamada. Outro fato que chamou a atenção foi a presença de avarias no carro. Segundo a proprietária, as marcas não existiam antes de ter sido encontrado abandonado.

Os militares consultaram o trajeto feito por Margarete antes de o carro ser encontrado e viram que o veículo ficou parado por cerca de 20 minutos na Serra do Rola-Moça, próximo ao Mirante dos Veadeiros. Eles foram até o local, mas, por causa do mau tempo, as buscas foram suspensas. Quando os trabalhos foram reiniciados, o corpo acabou sendo encontrado.

A família de Margarete atualmente os seus pais moram em Itabatã, mais são oriundos de Nova Viçosa. A polícia investiga se o crime foi latrocínio, roubo seguido de morte, ou execução. O corpo, segundo informações, será sepultado em Helvécia