Como o saquê ajudou na recuperação de Fukushima após desastre nuclear


13/03/2021 04h00 | Por: Maisteixeira/Fonte BBC NEWS

Hiroyuki Karahashi escapou por pouco em 11 de março de 2011. Ele não foi ferido pelo terremoto violento e tsunami que tirou a vida de 16 mil pessoas e devastou partes da região de Fukushima, no Japão.

Ele também teve a sorte de sua destilaria de saquê não ter sofrido danos graves, ao contrário de outras produtoras na região. Mas os seus negócios acabaram sendo fortemente afetados mesmo assim.

Quando a onda gigante causada pelo terremoto atingiu a usina nuclear de Daiichi, a destruição causou o acidente nuclear mais grave desde o desastre de Chernovyl, em 1986. Houve vazamento de radiação e evacuações em massa. Os habitantes do país foram tomado pelo medo da contaminação de longo prazo.

O episódio afetou profundamente Fukushima, que fica numa das regiões mais agrícolas do Japão. Afetou também a produção de arroz — o principal ingrediente do saquê.

“Quatro anos depois do acidente, um cliente ligou querendo devolver uma garrafa de saquê que ganhou de presente”, conta Karahashi. “Ele não queria nem jogar o saquê fora em sua própria casa por medo de radiação. Minhas vendas despencaram.”