Adolescente que estava desaparecida em Vereda é encontrada morta; Autor é preso pela polícia militar


05/02/2019 21h43 | Por: Alexandro Sousa/maisteixeira

Vivia Medeiros Soares, de 15 anos que estaria desaparecida na cidade de Vereda, foi encontrada morta na zona rural da Prata.

De acordo a polícia civil, que após registro do boletim de ocorrência do desaparecimento de Vivia feito pelo irmão, que informou a polícia civil que sua irmã teria sido vista pela última vez com um indivíduo identificado como sendo Daniel, a Polícia Militar de Vereda, saiu em diligências com o objetivo de localizar o suspeito, onde acabou encontrando o mesmo que foi identificado como sendo Daniel Max Santos de Jesus de 19 anos.

Daniel após ser localizado pela polícia militar foi conduzido e apresentado ao delegado Manoel Andreetta, substituto da Delegacia Territorial de Vereda, ao ser interrogado, o suspeito confessou espontaneamente a prática do o feminicídio contra a adolescente. De acordo o Daniel em seu depoimento a polícia civil que havia matado a vítima por estrangulamento na manhã do domingo, dia 03 de fevereiro, por volta das 09hs00, após ter tentado manter relações sexuais frustradas com a vítima, quando então o suspeito acabou sendo rejeitado, o que ocasionou um súbito ataque de fúria oportunidade em que o suspeito acabou estrangulando a vítima, primeiro com as próprias mãos e depois com a blusa da vítima, que logo em seguida ocultou o corpo da adolescente em uma propriedade rural localizada no distrito da Prata.

Segundo a polícia o suspeito indicou para a polícia civil e a polícia militar o local onde teria ocultado o corpo da vítima que foi localizada embaixo de certa quantidade de terra e galhos de árvore, em decúbito dorsal, com a blusa de cor rosa amarrada no pescoço com um nó, o sutiã azul claro abaixado em torno da cintura, vestindo uma bermuda jeans de cor azul marinho. O corpo da vítima apresentava adiantado estado de decomposição, sendo removido ao IML de Teixeira de Freitas.

Daniel foi preso em flagrante delito, sendo o mesmo conduzido para a carceragem da 8ª COORPIN, e ficando a disposição da justiça.