Acusado do assassinato de jornalista em Malta é condenado a 15 anos de prisão


24/02/2021 01h38 | Por: Maisteixeira/Fonte istoé

Manifestação convocada pela sociedade civis e familiares da jornalista assassinada Daphne Caruana Galizia, em Valletta, 29 de novembro de 2019 – AFP.

Arquivos
Arquivos

Um dos três acusados pelo assassinato, em outubro de 2017, da jornalista maltesa especializada em temas de corrupção, Daphne Caruana Galizia, foi condenado nesta terça-feira (23) a 15 anos de prisão, na primeira pena condenatória pelo crime.

“Vincent Muscat, como se declara diante das acusações?”, perguntou o secretário do tribunal, ao que o acusado respondeu “culpado”, observou um jornalista da AFP presente na audiência no tribunal de La Valeta.

Os juízes o condenaram a 15 anos de prisão, seguindo as recomendações da Promotoria, que solicitou uma pena branda em relação ao código penal de Malta, considerando que o acusado cooperou com a Justiça e garantiu que não recorreria.